Mau Olhado (quebranto)

Nas crianças se chama quebranto, é um esmorecimento geral, um langor, uma quebreira da vontade que toma conta do corpo. Pode dar em qualquer pessoa. Tem sido atribuído à força do olhar de invejosos ou mal-intencionados. Acontece também que algumas pessoas isentas de inveja tem olhar forte, condição desconhecida ás vezes até do próprio dono do olhar.

Na sociedade primitiva, o invejoso, outro tipo de pessoa de olhar forte, é sempre rejeitado, porque influi no animo das pessoas. E fácil conhecer quando acontece o mau olhado. Se ao olharem para nós começarmos a espirrar, ou abrirmos a boca em longos bocejos, sem parar, é sinal de que fomos atingidos.

Não é de hoje que se temem os seus efeitos. Demócrito mencionava já entre os mediterrâneos essa crença, da qual não conseguira determinar as origens. Aristóteles comentava que o olhar de algumas pessoas podia causar perturbação funesta no corpo e na mente dos fascinados. A história de Medusa, cujo olhar petrificava as pessoas é uma história de mau-olhado.

Os povos antigos conheciam a figa, símbolo sexual e amuleto, para afastá-lo. Entre nós, usa-se a figa feita de duas plantas mágicas: de arruda e de guiné para o mesmo fim.

O mau olhado é força mais branda do que o feitiço e na maioria das vezes não é premeditado. Contra ele, além da figa e da fava-da-inveja que se colocam no pulso ou no pescoçinho das crianças, usam-se as plantas mágicas: a arruda, a guiné, comigo-ninguém-pode e outras; fazem-se os ensalmos e cumprem-se os rituais das simpatias.

A crença no mau-olhado é universal. A língua dos povos atesta a sua difusão e persistência. E o mal-occhio, o evil eye, o mal de ojo. Entre nós é chamado além de mau-olhado, olho de seca-pimenteira, olho-grande, olho de inveja, olho-mau, maus-olhos.

No IX livro das Noites Áticas, Aulo Gélio conta que as pessoas da Ilíria podiam matar, estando irritadas, apenas olhando fixamente para o adversário. (In Dicionário de Folclore Brasileiro, de Luís da Câmara Cascudo).

A mágica de proteção contra o mau-olhado na antiga Grécia era desenhar ou gravar olhos nos objetos, para defender das forças invisíveis do mal. Talvez reminiscência da maga Medusa, uma das Górgonas, de olhos tenebrosos e cujo olhar fazia se transformarem em pedra as pessoas que os fitavam.

Os amuletos mais populares contra o mau-olhado são:

a figa, o corno, a mão cornuda, a meia lua, o corcunda, o elefante. Usa-se também uma fitinha vermelha, amarrada no pulso o ou em torno do pescoço.

A figa é o mais usado e o mais antigo dos amuletos contra o mau-olhado. Sobrevive nos usos dos povos os mais diversos. Sabe-se que já existia entre os etruscos. E mencionada por Dante, por Shakespeare. Entre os povos da antigüidade, como símbolo fálico, prendia-se aos cultos da fertilidade e da fecundidade. Em Roma era usada no pescoço das mulheres e das crianças, o que provocou o desaprovador reparo de Varrão, de que a figa é a representação do ato sexual, sendo polegar em riste apertado entre o indicador e o médio dobrados, o órgão masculino penetrando o órgão feminino.

Encontraram-se inúmeras figas nas ruínas de Herculano e de Pompéia. Hoje ela vive um pouco nos folclores de toda a Europa de onde passou para as Américas.

SIMPATIA 01

SIMPATIA 02
Podem-se fazer 4 banhos diferentes contra o mau-olhado:
a) água de mina e sal grosso;
b) banho feito com o cozimento de sempre-vivas;
c) banho feito com o cozimento de arruda e guiné;
d) banho feito com o cozimento de guiné arruda alecrim e alho.
Ramo seco de artemísia atrás da porta é providencia que pertence à magia defensiva.

SIMPATIA 03

SIMPATIA 04

Para defesa contra o mau-olhado planta-se guiné no vaso e coloca-se à entrada da porta da rua.
Fulana (diz-se o nome da criança) Deus te fez, Deus te gerou. As cinco chagas de Nosso Senhor que tirem esse quebranto que em teu corpo entrou. Em nome das três pessoas da Santíssima Trindade, ofereço uma ave-maria, uma santa-maria, uma salve-rainha e um pai-nosso.
SIMPATIA 05
SIMPATIA 06
Quem conduz alho no bolso ou em patuá, está defendido contra o diabo, assombrações e olho mau.
Andar com um galhinho de guiné atrás da orelha também afasta o mau-olhado.
SIMPATIA 07

SIMPATIA 08

Pendurar uma espiga de milho com a palha, na entrada da casa.
Para evitar a influência e o encosto de maus espíritos queima-se a folha seca da guiné, em brasa-viva, todas as sextas-feiras às seis horas da tarde, hora da ave-maria.

SIMPATIA 09

SIMPATIA 10
Em casa mal assombrada entra-se com ramos de arruda e alecrim, ainda verdes.
Queimar folha de incenso.

SIMPATIA 11

SIMPATIA 12
Molhar um ramo de alecrim na água benta e aspergir as portas da rua e dos fundos, tira mau-olhado.
O chamado olho gordo, ou olho da inveja não causam mal se houver limão plantado no quintal.

SIMPATIA 13

SIMPATIA 14

Queimar unha de boi no quintal, espanta inveja e evita a perturbação espiritual e o mau-olhado.

Guardar um limãozinho no bolso afasta os malefícios, doenças e coisas-feitas.

SIMPATIA 15

SIMPATIA 16

Misturam-se num prato água e óleo, mexendo com uma colher. Deixam-se assentar os dois líquidos até aparecer bem a separação. Então, reza-se:

"Em louvor de Deus Nosso Senhor
E de Nossa Senhora Aparecida,
Em louvor do Padre Santo
Em louvor do Pai Simão
Em louvor de nosso Senhor Jesus Cristo
Em louvor de Nossa Mãe Maria Santíssima.
Nossa Senhora lavou seu filho para cheirar
Eu benzo esta criança para sarar
De quebranto, mau-olhado e vento virado
Amém."

Repete-se a oração três vezes, fazendo de cada vez o sinal da cruz sobre a criança, com um raminho de alecrim.

Para livrar alguém do encosto faz-se banho com o decocto de 3 galhos de arruda 3 de guiné palma benta alecrim, 3 galhinhos de cambará e 3 espadas de São Jorge.

(Guiné, ou pipi ou ainda erva-pipi tem duas variedades principais: Petiveria Tetranda e Petiveria Aliácea família das fitolacáceas é escurona tem um cheiro forte de alho e sabor acre. Chamada também guiné-gambá tipi, tipi verdadeiro e amansa-senhor. O Dr. João Batista de Lacerda em 1980 alude aos efeitos narcotizantes das raízes do pipi. Era planta usada em beberagens pelos escravos, para amansar os senhores de maus bofes.)

SIMPATIA 17

SIMPATIA 18
A mãe lambe a testa da criança três vezes e reza um pai-nosso, segurando as mãozinhas dela. Em seguida repete três vezes estas palavras:
"Deus te criou,
E eu, mãe, te pari;
Quebranto que te puseram,
Eu, mãe, lambi."*

Põe-se olho de cabra no bracinho da criança.

SIMPATIA 19

SIMPATIA 20

Figa de ouro usada pela criança afasta o mau-olhado e o quebranto.

A benzedeira de quebranto e mau-olhado benze a água de um copo e asperge o paciente com ramo de guiné.

SIMPATIA 21

SIMPATIA 22

Quando a criança está muito impertinente, a mãe lambe a testa dela. Se estiver salgada, está com quebranto. Então ela ou outra pessoa põe três brasas vivas (bem' acesas) dentro de um copo com água e diz:

Benzo Fulana (nome da criança) em nome de Deus para sarar do quebranto.

Repete-se 3 vezes. Depois sai-se andando de costas para a rua e joga-se o copo com a água e os carvões, por cima do ombro, sem olhar para trás.

Bate-se um tomate com a primeira água que se tirou do poço, pela manhã. Bate-se à parte a gema de um ovo, que também se mistura com a água.

Com essa mistura banha-se a criança. Da água que escorre do corpinho dela apara-se um pouco e dá-se nas mãos em concha para ela tomar.

Esfrega-se a clara do ovo na cabeça da criança, até que não faca espuma. Seca-se a criança que é depois colocada na cama. Só se amamenta o nenê duas horas depois do banho. O processo se repete três dias seguidos.

Obs: Estas simpatias são de cunho Folclórico, EXCLUSIVAMENTE !Elas são coletadas através da sabedoria e da crença popular. Nós apenas divulgamos. Não tem aprovação médica. Não nos responsabilizamos pelos efeitos do uso destas simpatias

fonte:www.ifolclore.com.br/simpatias/