OS SEGREDOS DE UM CASAMENTO FELIZ

Amar a esposa ou o marido não garante um casamento satisfatório. Além do afeto, a capacidade de adaptação e o diálogo são os pontos fundamentais para quem quer viver feliz para sempre. È o que indica a pesquisa feita pela psicóloga Mara Rossi para sua tese de mestrado na PUC.

O estudo analisou a satisfação conjugal dos brasileiros com base em relatos espontâneos postados por usuários de 23 a 68 anos em comunidades do Orkut. Na pesquisa as pessoas mencionaram como fator importante para um relacionamento amoroso e satisfatório. “A Invisibilidade da internet faz a pessoa ser mais honesta do que em um questionário ou entrevista pessoal. Percebemos que os casais encontram dificuldade de expressar o sentimento presencialmente, mesmo para seus parceiros.

A pesquisa aponta que o AMOR é um quesito importante nos relacionamentos atuais, mas não é suficiente para sustentar a relação. Fatores como respeito e cumplicidade também foram os mais mencionados nas comunidades sobre amor e relacionamentos. Segundo a psicóloga, mudanças de cenário como a presença das mulheres no mercado de trabalho e igualdade de gêneros exigem mesmo um jogo de cintura maior para que um casal permaneça junto. Há alguns anos a satisfação conjugal estava ligada ao HOMEM PROVEDOR, e a mulher DONA DE CASA. Hoje não é mais assim.

Se por um lado as responsabilidades compartilhadas são necessárias para a felicidade e intimidade no casamento, elas também forman as uniões mais efêmeras. A demanda contemporânea aponta para uma relação democrática, na qual individualidades precisam ser valorizadas para consolidar o compromisso do casal. A família tem arranjos diferentes e consequentemente menos permanentes. “Não é mais até que a morte os separe” A valorização das diferenças, a equidade de gêneros e arranjos igualitários estão entre as necessidades de um relacionamento de sucesso atualmente. A relação é dinâmica e parceiros devem mudar ao longo do tempo. A satisfação depende desse continuo aprendizado.

A FALTA DE DIÁLOGO foi o principal fator apontado em relatos de relacionamentos que não deram certo, confirmando uma tendência já conhecida as reclamações dos usuários apontam ‘ELE SÓ PENSA EM TRABALHO” ou “ELE NÃO FALACOMIGO” , “ELE NÃO ME OUVIA” “ELE NÃO ME VIA”, apesar de colocarem a culpa no outro(a) devemos lembrar que a comunicação vem dos dois lados e a responsabilidade em acertar o conteúdo e a forma do que é dito e ouvido é de responsabilidade casal.

Tudo isso para que não aconteçam separações precoces ou CASAIS QUE ESTÃO JUNTOS A MUITO TEMPO, e vivem a solidão a dois, lembrem-se sempre que a comunicação é o melhor caminho para um relacionamento satisfatório, e tão importante quanto o falar é calar e ouvir.

 

Rosely Salino
Psicóloga Clinica e Terapeuta Sexual
CRP:06/47618-4