SEXÓLOGA Rosely Salino
Fones: (11) 2021-3931 - 7299-8012
E-mail: psirose@ig.com.br


O QUE FAZER QUANDO NÃO EXISTE
QUALIDADE NA VIDA SEXUAL


Antes de qualquer coisa e de falarmos em como melhorar a qualidade da nossa vida sexual é fundamental entender, como funciona a RESPOSTA SEXUAL.
Tanto nos homens como nas mulheres a RESPOSTA SEXUAL é dividida em fases:

DESEJO EXCITAÇÃO ORGASMO RELAXAMENTO:

A partir da revolução cultural e sexual ocorrida nos anos 70, tanto homens quanto mulheres tem se permitido viver e falar sobre a sexualidade, tentando encontrar respostas para as dúvidas que afetam e dificultam os relacionamentos. Muitos chegam ao consultório sem qualidade alguma na vida sexual e muito confusos com relação a RESPOSTA SEXUAL,vamos explicar o que acontece em cada fase.

DESEJO SEXUAL: É A VONTADE DE FAZER SEXO, OS MOTIVOS QUE NOS LEVAM AO INTERESSE DE FAZER O SEXO, AS FANTASIAS SEXUAIS.

Todos nós, mesmo aqueles que não admitem, pensamos em sexo fantasiamos encontros sexuais com alguem ou com o parceiro(a), como vai ser o que vai acontecer, etc...
Quando ocorre uma inibição ou diminuição do desejo, estamos diante de uma DISFUNÇÃO SEXUAL. O desejo é fundamental, ele nos leva a buscar a vivência sexual e por conseqüência à excitação e o orgasmo.

EXCITAÇÃO SEXUAL: ALTERAÇÕES FISICAS EVIDENTES TANTO NO HOMEM QUANTO NA MULHER.

No homem ocorre a ereção do pênis e na mulher a lubrificação vaginal, pelo aumento do fluxo sanguíneo ocorrem a ruborização do pescoço, rosto costas e coxas, aumento da pressão arterial, a região genital é intensamente irrigada pelo aumento da circulação sanguínea, o coração bate acelerado, a boca seca, essa excitação é crescente e chamada de TESÃO.
Nessa fase os problemas que interferem na qualidade da vida sexual são no homem a DISFUNÇÃO ERÉTIL( dificuldade em obter ou manter a ereção) e na mulher a DISPAREUNIA(dor na penetração) pela ausência de lubrificação vaginal.

ORGASMO: INTENSA SENSAÇÃO DE PRAZER SEXUAL, CONTRAÇÃO INTENSA DOS MUSCULOS GENITAIS E DO ASSOALHO PÉLVICO.


Na hora do orgasmo ocorre um desligamento com relação ao meio externo, tanto homens quanto mulheres no momento em que estão gozando, se desligam de tudo até do parceiro(a),os chineses definem o orgasmo como “pequena morte”
Nesta fase pode ocorrer nas mulheres a ANORGASMIA( dificuldade em atingir o orgasmo) a disfunção sexual mais recorrente entre elas, e nos homens a EJACULAÇÃO PRECOCE(ejacular muito rápido) disfunção essa que além de deixar o homem decepcionado com seu desempenho também preocupa as mulheres, pois quando o parceiro ejacula muito prematuramente ele interfere também no prazer de sua parceira.
Após o orgasmo tanto homens quanto mulheres entram na fase do PLATÔ, ou relaxamento, quando voltam as condições anteriores a excitação.
È importante salientar que quando as pessoas sofrem de alguma disfunção sexual, acabam insatisfeitas consigo mesmas e em conseqüência desenvolvendo dificuldades nas relações pela perda de qualidade. Essas dificuldades que acabam afetando a qualidade da relação, podem ter causas orgânicas, psicossociais e emocionais.

ORGÂNICAS: Doenças venosas, endócrinas podem trazer alterações como acontece no diabetes, problemas circulatórios nos homens, e no pós parto no climatério e na menopausa nas mulheres. Falta ou excesso de exercícios físicos, o uso de drogas, cigarro, álcool remédios utilizados para tratar doenças, como no caso da pressão alta, alteram o desempenho sexual.É fundamental procurar um médico para um diagnóstico.

PSICOSSOCIAIS: Ocorrem por problemas no relacionamento familiar, situação profissional, falta de dinheiro, lutas pelo poder entre o casal, repressões sexuais ocorridas na infância e adolescência na família, na religião, na escola, estresse, ansiedade, perda de emprego, luto etc...

CONFLITOS EMOCIONAIS: A insegurança quanto ao desempenho sexual, o medo da intimidade,a culpa pelos desejos e impulsos sexuais, que pode existir mesmo dentro dos “padrões oficiais” dentro do casamento, ocorrendo um boicote ao próprio prazer.
As preocupações fora da esfera sexual também podem afetar a qualidade das relações, como a baixa estima, a depressão, a ansiedade, perda de entes queridos, e de emprego.
Se o individuo consegue identificar as dificuldades em sua resposta sexual, e reconhece os fatores que estão presentes e o impedem de ter um desempenho sexual satisfatório, começa a ter condições de perceber como melhorar, isso pode ser atingido de maneira individual ou com a ajuda de um profissional (psicólogo ou terapeuta sexual).

ATITUDES QUE AJUDAM A MELHORAR A QUALIDADE DA VIDA SEXUAL.
Se ame, cuide bem de seu corpo, tenha boa higiene, alimente-se bem, mexa-se faça exercícios com regularidade.
Procure conhecer melhor o seu corpo, olhe-se no espelho, toque-se reconheça as partes que lhe dão mais tesão, para depois compartilhar com o parceiro(a).
Evite excessos e fatores prejudiciais como álcool, drogas, estresse físico e emocional, sedentarismo.
Cuide de suas emoções, livre-se da culpa, do medo, raiva e mágoa, eles só fazem mal, seja quem você é sem medo, quando você se ama de forma incondicional abre caminhos para também ser amado(a).
Relaxe e desfrute do relacionamento ou do momento, aproveite a companhia do outro(a) namore muito,carinho, beijos e massagens só fazem bem, e quando estiver só continue se amando e gostando de sua própria companhia, muitos ficam em péssimos relacionamentos por medo da solidão.
Invista em relacionamentos saudáveis, muitas vezes ficamos em relacionamentos neuróticos, doentios que nos fazem mal, simplesmente por falta de coragem de mudar, e ainda culpando o outro pela nossa infelicidade, saia dessa.... Encare a vida de forma positiva e acredite que você merece tudo de bom que ela pode oferecer.
Sabemos que não é fácil construir uma vida sexual equilibrada e com qualidade, mas na vida nada é fácil o que não podemos nunca é desistir sem tentar, para não termos que nos arrepender de não ter feito, melhor errar do que não fazer.

Colaboração:

ROSELY SALINO - Psicóloga Clinica e Terapeuta Sexual
Telefones: 2021-3931 e 7299-8012
E-mail: psirose@ig.com.br