SEXÓLOGA Rosely Salino
Fones: (11) 2021-3931 - 7299-8012
E-mail: psirose@ig.com.br


A Importância do Namoro


Mesmo sob os olhares de maior liberdade, do “ficar” o namoro continua a ser o primeiro aprendizado da linguagem do amor, o afeto a delicadeza dos olhares, o beijo, preparam o terreno para a confiança mútua e vínculos cada vez mais estreitos.
Ingressar nos caminhos da paixão ficou mais fácil para as últimas gerações de adolescentes. Os novos ventos beneficiaram especialmente os mais jovens, pois os relacionamentos afetivos deixaram de ter vínculo direto com o compromisso do casamento e passaram a ser uma forma de conhecimento, do outro e de si mesmo.

Os primeiros contatos íntimos acontecem com tranqüilidade na adolescência. E a troca de caricias entre garotas e garotos é admissível até perante a família. Embora saudável, toda essa liberalização contém um único risco, a supervalorização do ato sexual em si em detrimento do jogo amoroso (namoro).

A pressa em queimar etapas pode empobrecer o importante processo da descoberta mutua. Especialistas são unânimes ao recomendar um estágio de preparo no qual os adolescentes experimentam devagar o suave prazer de explorar o corpo do outro.

O primeiro beijo continua imbatível como sinal de que a atração é correspondida. Não se trata de imposição moralista, mas de propor uma atmosfera de cumplicidade afetiva que permite partilhar não só a sensualidade, mas as idéias, os gostos, enfim as emoções contidas numa relação a dois.
Essa espécie de aquecimento reduz bastante a ansiedade do jovem diante da explosão dos impulsos sexuais, alem de gerar autoconfiança para lidar com a própria inexperiência.

Ao experimentar as primeiras emoções do estar namorando, é comum que o adolescente tenha mais expectativas e incertezas, que o “ficar” em sua forma apressada não permite. O medo de perder o vinculo, é talvez o principal motivo de muita insegurança, afinal ninguém gosta de levar um fora, por isto um dos primeiros impulsos é esconder os defeitos, preocupar-se em agradar, muitas vezes com atitudes sutis e dissimuladas.

O ideal é comunicar sempre com clareza os desejos, ambos devem investir na formação do possível vinculo e aceitar que o namoro deve durar enquanto estiver trazendo felicidade e bem- estar , caso traga só conflitos e sofrimento, é preciso preparar-se para novos relacionamentos, desta vez, com mais experiência, afinal na adolescência tudo é novidade, portanto não tenha pressa saboreie cada momento do encontro com tranqüilidade, além de ser gratificante é o meio mais seguro de avançar em direção de terrenos inexplorados.


ROSELY SALINO
Psicóloga clinica e sexóloga.
0xx11 61213931
0xx11 71525196